ESTRELA CADENTE

Ninguém me disse que hoje eu perderia tudo. Que a estrela cadente seria meu último pedido e não o primeiro por tê-la reconhecida. O pedido foi particular. Cabeça levemente inclinada quase se encostando ao peito. O pensamento positivo. Foi o que me pediram para sempre fazer. O que faço agora? Que pedido faço a uma estrela humana, feita de ferros e tecnologia?

Não passo de uma expectativa de um sonho que pode acabar. Se cair tudo que inventamos, cai sonhos e cai satélites humanos. O sonho do homem que vira poeira no céu lá de cima, de fora de nosso alcance táctil.  Eu sonhava com outros planetas, outras órbitas, outras estrelas.

E agora me vejo olhando pro céu numa perturbação de quem tem a alma roubada, o teto de vidro ou o relento como casa. Mas dizem que a proporção é mínima, numa estatística que assusta só por existir. Olhem pro céu hoje à noite, diz o noticiário.

Estou de prontidão, olhando para minhas mãos, para meu céu de todo dia. O sol que nasceu hoje já me disse que seria diferente, que seria um dia de sol. Mas o que a lua pode trazer? O que pode ser visto num horizonte corrompido por sonhos metálicos?

Hoje o dia amanheceu!

Anúncios

2 comentários em “ESTRELA CADENTE

  1. E amanhecerão muitos outros, oxalá. Que as estrelas permaneçam no céu, lugar de onde povoam nosso imaginário.
    Abraço. Saudades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s