Algo maior do que liberdade!

As vozes internas falam de liberdade, mas, lá no fundo mesmo, elas te insuflam para algo bem maior. E o que é isso? Posso passar uma vida a pensar no que seria isso e perder a luz que me orientasse para um caminho alternativo: uma felicidade autêntica, mas menor.

Por que me satisfazer com a verdade ampla, se me basta a comezinha? Aquela sutil lembrança de que amanhã tenho um café sobre a mesa, o sorriso do dia ensolarado e o chão firme sobre os pés. Por quê?

Por que me antecipo na infelicidade se de minha cobertura não vejo ainda mais perto, como quero, o brilho do dia; se bem aqui embaixo, debaixo de minha  castanheira, consigo ver a cor das flores, do lago, dos rostos? Por quê?

Eu não quero o pleno, mas apenas o completo: o almoço completo, um cheiro completo, um abraço completo, um carinho completo. Não preciso das coisas desmedidas. Tudo de um pouco basta.  Por quê? Porque assim não morro de fastio, mas morro de satisfação.

Se me faltar algo, vou lá na fonte de tudo. Eu mesmo me rego, me aguardo, me refresco.

Por que o medo, se eu tenho o amanhã?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s