Encontro com Martha Medeiros

Sabia que o encontro com os escritores promovido pelo CCBB seria no dia 07 de julho. Estava ainda em dúvida, mas acabei me dirigindo para o setor de clubes sul. Sorte minha. Cheguei a tempo. Peguei minha senha e fiquei a esperar a liberação para a entrada. Olhando por sobre a fileira de pessoas, observei que a maioria delas eram mulheres. Todas leitoras assíduas de Martha; todas falando das crônicas, dos livros, de Doidas e Santas. Ali tava cheio dessas últimas.

Então, entrei e me posicionei o mais perto do microfone. Eu ia fazer muitas perguntas. Não é todo dia que você encontra um escritor famoso falando como se estivesse na sala de sua casa. E lá estavam elas. Kássia Kiss roubou a cena- devo confessar- lendo crônicas da escritora que ficou com aquele olhar perdido no som das palavras que escrevera. Era mágico vê-la pensando no que tinha escrito e como tudo era cheio de comicidade.  E as duas interagiam nessa perfeita sintonia de escritor e ator, apesar de Kássia ter dito que não ia interpretar- fato que ela não se apercebeu. Sorte nossa, sorte minha.

Apesar de sua falta de preparo como palestrante confessa, Martha – pelo menos pra mim- causou grande interesse por revelar como se deu todo o processo de formação de escritora. Fiquei feliz de saber que temos as mesmas origens. A poesia foi passo incial. lembrei-me de quando ela falou de enviar seus manuscritos para um editor e recebeu um sonoro e sincero não; e isso me fez lembrar quando enviei a primeira carta para João Silvério Trevisan, que não me respondeu, nem com um não. Mas ela continuou fazendo novas poesias e sempre insistindo no segundo, terceiro, quarto, contatos. Até que teve seu livro publicado.

Foi tão bacana reconhcer nela aquele protótipo insipiente de escritor em mim. Falta-me apenas a oportunidade e é isso que me deixou mais feliz, saber que se pode conseguir as coisas por insistência da alma; assim como fez Martha. E o que me deixou ainda mais feliz, foi o fato de ela viver do mister de escritora. Que fascinante. Que vontade de abraçá-la e sentir um pouco dessa maneira de viver a vida.

Foi como se fosse um grande papo com uma grande amiga. A intenção do curador das reuniões foi muito feliz. E estou agendando para o próximo mês um novo encontro com um escritor e sentir bem perto essa vibração que emana desses homens e mulheres que vivem da imaginação. Não posso perder os próximos encontros e ver, também, nos olhos dos ecritores e dos atores a grande magia da literatura.

Enfim, esse primeiro contato com Martha Medeiros foi quase epifânico. Vi-me sentado ali, conversando sobre literatura; minhas crônicas pessoais e meus livros internos espalhados e discutidos por uma legião de pessoas com propósitos semelhantes. Assim, como se todos estivessem na sala de minha casa, numa grande tertúlia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s