Bon appetit!

O que mais desejei, quando comecei este blog, foi a resposta de meus leitores. Hoje sei que são muitos, mesmo que diariamente um ou dois o leiam. Mas cada comentário era aguardado e celebrado. E a primeira emoção que senti, quando assisti a Julie & Julia, foi a mesma da escritora Julie Powell- ainda que fosse um comentário depreciativo.

É assim que começa o filme: a esperança de enfrentar o novo sem medo dos desafios. A estória não é nova. A mudança de ares e da rotina faz com que duas mulheres mudem suas perspectivas, enfrentando os pequenos percalços que se avizinham.  Julia faz de sua vida errante de esposa de uma espécie de adido cultural dos EUA, o terreno prefeito para conhecer a culinária francesa quando da passagem deles por Paris. Enquanto isso, Julie queria dar rumo a sua vida monótona- embora seus marido fossem dedicados e carinhosos. E nesse contexto, vivido entre as memórias de Julia Child e as intempéries da frustrada escritora e funcionária pública, Julie Powell, que se desenrola e se entrelaçam essas fascinantes histórias.

Julie & Julia é um filme sobre persistência e força de vontade. A princípio, essas mulheres poderiam viver suas vidas de dona de casa sem qualquer reclamação de seus companheiros. Cada uma com suas particularidades domésticas. Julia mudou-se para Paris acompanhando seu marido e Julie mudou-se para o Queens para morar num lugar maior e mais próximo do trabalho do marido. Tais particularidades tornavam ainda mais desestimulantes as vidas das protagonistas. Mas é justamente o senso de pertencer à mesmice que as faz mudarem de rotinas, buscando lá no fundo, seus reais potenciais. Uma busca que, às vezes, para nós, que estamos fora dessas epifanias, parece difícil; no entanto, são tão claras quanto a magia da vida. Resta-nos apenas não se deixar oprimir pelo novo; talvez ouvir a um chamado interno e, além disso, incorporar a si mesmo.

Saber de si as verdades que nos enchem de alegria; aqui, no caso, como comer e cozinhar e amar os maridos de forma plena, conjugando todos os interesses. Simples, mas mágico como os temperos que dão sabor às comidas; mesmo que seja uma nova maneira de se cozinhar um simples ovo.

As metas em vida também são o grande aprendizado do filme; ou a notória lição de moral; ou aquele friozinho ou o estranhamento que se causa quando assistimos ao filme em questão. Meryl Streep incorpora brilhantemente a grandona cozinheira Julia Child e sua fascinante caricatura de glutona e boa esposa. Julie & Julia é uma linda história recheada de temperos vivos e multicolores que dão estímulos e sabores as nossas vidas simples.

Anúncios
por Roberto Muniz Dias Postado em Sem categoria Com a tag

2 comentários em “Bon appetit!

  1. Obrigado pela indicação. Realmente ela é suave e pontual e m suas observações. Visita obrigatória.
    Para você, mano, e toda minha família desejo também um 2010 com novos sabores e tentativas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s